Após 2 jogos sem tomar gol chega o clássico!

Mano Menezes achou um time, organizou o sistema defensivo corinthiano em pouco tempo, considerando que esse trabalho teve que ser feito em meio a crise de torcida, diretoria, jogadores, etc. Como bem disse Álvaro, do http://bloguedotimao.wordpress.com/, Mano está acima da media dos treinadores brasileiros.

A consequência dessa arrumação, a proteção das avenidas Fagner e Uendel por três volantes (Ralf, Guilherme e Bruno Henrique) que sabem jogar, é que a zaga e o goleiro Cássio deixaram de jogar totalmente expostos ao ataque adversário.

Após 2 jogos sem levar gol chega o clássico, esse será um importante teste para o novo esquema de Mano, e também para Cássio que retornou a meta corinthiana no clássico contra o Palmeiras.

Nos últimos jogos Cássio não precisou de operar milagres, mas a segurança que ele mostra quando é exigido revela claramente que nosso goleiro também está acima da media entre os goleiros brasileiros.

No duelo Cássio x Ceni, aposto no primeiro, assim como já ocorreu nos últimos clássicos…

Na volta de Cássio, Prass melhor em campo!

Antes de qualquer coisa, cabe lembrar que um goleiro sem jogar desde outubro de 2013 voltar em um clássico no meio de uma crise merece elogio. É lógico que ritmo de jogo, tempo de bola e reflexo não são os mesmos, mas Cássio mostrou sua habitual frieza e não comprometeu a meta corinthiana.

O jogo teve Cássio pegando um chute cruzado e fazendo uma saída de gol no primeiro tempo, enquanto Prass viraria o melhor homem em campo (junto com Guilherme) na segunda etapa. 3 bolas defendidas cara-a-cara, sendo duas do Romarinho e 1 do Guerrero mais uma boa saída do gol.

Por mais que possamos ressaltar que as opções de finalização dos atacantes corinthianos não foram as melhores, mas Prass (que é sempre regular) esteve acima da media ontem e tomou todas as decisões de forma correta ontem. A fechada no pé do Romarinho foi um bom exemplo disso. No gol, boa jogada de Fagner e Guilherme, o lateral tocou pra trás só pro matador de porcos, Romarinho, completar sem nenhuma chance para o goleiro.

Cássio assistia o jogo no 2ºT, até o Corinthians recuar… precisou pegar uma bomba de fora da área, um chute fraco no canto e saiu mal (falta de tempo de bola) em um cruzamento.

Enfim, Prass que é bom goleiro pela sua regularidade fez uma partida acima da media pra nota 8,0, e do outro lado Cássio voltou bem, foi muito menos exigido e merece um 6,5. Que as lesões fiquem bem longes do nosso gigante em 2014!

Reynaldo (Mogi) 1 x 1 Walter (Corinthians)

Pelo último jogo do Paulistão, Reynado do Mogi trabalhou mais, 5 defesas contra 4 de Walter. Mas em defesas difíceis o jogo também ficou empatado, foi uma pra cada lado.

Alguns companheiros consideraram falha de Walter no 1º gol do Bragantino na rodada anterior, confesso que no primeiro momento só pensei na burrada do Felipe mas realmente ele tem culpa compartilhada, principalmente se não gritou nada com seu zagueiro antes de sair.

Agora, no gol de ontem não teve culpa nenhuma… miolo de zaga parado, sem sair do chão, zagueiro Mirita vem de trás. Mesmo assim, penso que Cássio não tomaria esse gol…(ou tomaria tentando sair do gol) Justamente pelo que muitos “entendidos” reclamam dele, engraçado né?

Cássio tem confiança pra sair até o final da grande área, dando certo ou errado ele sai em todas. Por isso, talvez com ele não tomássemos o gol de ontem do Mogi, por mais que Walter não tenha falhado.

cassio-goleiro-do-corinthians-sai-do-gol-para-agarrar-a-bola-durante-confronto-contra-o-vasco-no-pacaembu-1337825586047_956x500

O que uma crise não faz, vi muitos amigos corinthianos afirmarem no final do ano passado que Cássio seria reserva do Walter, hoje muitos já desconfiam dele!!! Nem tanto ao ar nem tanto a terra, Walter não é mal goleiro (bem melhor que DF e JC) mas não tem condições técnicas pra disputar posição com o melhor jogador do Mundial da Fifa de 2012!!! (só espero que em 2014 as contusões o deixem em paz)

Nota atuação do Walter (Paulistão_rodada 7): 6,0

Falar o quê?

Nada foi comentado da atuação de Walter, Roberto (Ponte) ou qualquer outra coisa da rodada do fim de semana, porque o responsável por esse blog achou absurda a ocorrência dos jogos.

01/02/2014 foi um dos dias mais vergonhosos da história do Corinthians (e minha como corinthiano), e falar sobre futebol em uma situação como essa tornou-se pouco importante…

Mesmo no vexame, Walter nota 7! (Santos 5 x 1 Corinthians)

Em um jogo de nota zero para quase todos em campo com a camisa do Corinthians, Walter evitou o troco dos 7 a 1 dado pelo Corinthians em 2005.

Uma boa defesa em bola rasteira; outra cabeçada a queima roupa esquecida pela incompetência da marcação dos jogadores de linha que ainda teria chances de chegar para outra defesa se não fosse o calcanhar de Ralf e os 3 santistas em impedimento tampando a visão.

O único porém talvez seja o 5º gol santista, Walter caiu um pouco cedo no chute de Tiago Ribeiro, mas pra falar a verdade não sei como aguentou ficar em campo tendo a seu lado duas avenidas como as: Av.Diego Macedo que fica paralela a Av. Uendell. Para não dizer que o Aranha ficou assistindo o jogo, fez boa defesa em cabeçada de Guerrero mas muito mais fácil que aquela de Walter antes do gol santista.

Após 3 anos sendo a maior defesa do Brasil, hoje a defesa corinthiana precisa se reiventar… goleiro não é problema! Mas sinceramente com avenidas como Diego Macedo, Fagner e Uendell é de se preocupar…

Henrique: nosso goleiro da edição 2014 da copinha!

374_goleiro_henrique_treinando_pra_final_qd

Henrique Teixeira Martins, 19 anos, 1m e 92 cm, representou bem a meta corinthiana na Copa SP de 2014. A raça e vontade de ganhar podem ter atrapalhado um pouco nos instantes finais da última partida, mas quem não se lembra de outro camisa 1, que jogou 601 partidas pelo Corinthians, e também fazia de tudo (no plano racional ou não) pelo Timão?

Ao contrário do inseguro (e fraco) Caíque da edição de 2013, e até mesmo do regular campeão Mateus de 2012, vi qualidades no camisa 1 dessa edição. Por quê? Seguro nas saídas de gol, bom tempo de reação, ótima estatura…

Em tempos de Cássio e Walter absolutos, emprestaria JC e Danilo Fernandes e deixaria Henrique entre os profissionais adquirindo experiência com os grandes goleiros titulares do Corinthians hoje.